Revista 200 / Outubro 2014

Revista 200 / Outubro 2014

MEL, DOCE MEL.

Avalie este item
(0 votos)

O PRIMEIRO APIÁRIO EXPERIMENTAL EM CAPÃO BONITO, A 230 QUILÔMETROS DA CAPITAL PAULISTA, PRETENDE AUMENTAR A PRODUÇÃO DE MEL ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE MANEJO MAIS EFICAZES.

“PARA EXEMPLIFICAR, PODEMOS COMPARAR A PRODUÇÃO INDUSTRIAL DA DÉCADA DE 1970, COM BAIXA TECNOLOGIA E SEM COMUNICAÇÃO ENTRE AS MÁQUINAS OU AS LINHAS DE PRODUÇÃO, E O QUE TEMOS HOJE, QUANDO TODOS OS EQUIPAMENTOS ESTÃO INTERLIGADOS E SÃO CONTROLADOS POR UMA CENTRAL ÚNICA". 

“A MELHOR FORMA DE ENCARAR UMA CRISE É GANHAR EFICIÊNCIA, INVESTIR EM TECNOLOGIA E CAPACITAÇÃO DE MÃO DE OBRA, UMA VEZ QUE NÃO DOMINAMOS O MERCADO. O GOVERNO É QUEM DITA ÀS REGRAS DO MERCADO. SE AUMENTAMOS A PRODUÇÃO, CONSEGUIMOS DIMINUIR OS CUSTOS”, DIZ CONTA O SUPERINTENDENTE DA USINA, NEWTON CHUCRI.

Todo produtor quer agregar valor ao seu produto. Para isso, existem selos certificadores, que reconhecem todo o processo de produção, desde o início, até o momento em que se disponibiliza ao consumidor final.

O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), que detém um dos maiores bancos genéticos de cana do mundo, completa três anos como uma sociedade anônima. Desde sua criação, ele contribuiu de forma significativa para o avanço da produtividade do setor. Sua transformação trouxe possibilidades de novos arranjos societários e de acesso a recursos financeiros necessários para alavancar a inovação necessária para o setor sucroenergético, como conta para a repórter Fátima Costa, o presidente do CTC, Gustavo Teixeira Leite.

GUINDASTES: MAIS UM ALIADO NO CAMPO

Avalie este item
(0 votos)

Equipamentos de grande peso, mas bastante funcional, também ajudam o produtor na lida do dia a dia.

INFO360: INFORMAÇÃO EM DEBATE

Avalie este item
(0 votos)

O fórum mostrou a importância de se ter um sistema de controle de informação nas granjas, para que se possa obter melhor resultado nos criadouros, sejam eles de pequeno, médio ou grande porte.

INTERCÂMBIO: EM BUSCA DE UM LUGAR AO SOL

Avalie este item
(0 votos)

“A EXPERIÊNCIA NO EXTERIOR ABRIU MUITAS PORTAS NO MERCADO DE TRABALHO APÓS O MEU RETORNO, PRINCIPALMENTE PELA ÓTIMA FLUÊNCIA ADQUIRIDA NA LÍNGUA E A ALTA CAPACIDADE DE SE ADAPTAR A LUGARES, FUNÇÕES, EQUIPES E TRABALHOS DIFERENTES”, LEMBRA GABRIEL CAMPOS, REPRESENTANTE DE CAMPO DA TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO DA MONSANTO, NO ESTADO DO TOCANTINS.