Revista 20 / Julho 1999

Revista 20 / Julho 1999

Anca comemora uma decada de existência

Avalie este item
(0 votos)

A média foi de R$ 9,6 mil. A Associação Nacional do Cavalo de Apartação (Anca), que engloba mais de 90% dos criadores da raça Quarto de Milha, comemorou dez anos de fundação com o Potro do Futuro, final do Campeonato Nacional e leilão. O evento ocorreu de 8 a 10 de julho, na arena coberta da Fazenda Berrante, em Assis, SP. Os vencedores ganharam carro zero quilômetro, motos e selas personalizadas.

Ainda falta muito a banana conquistar o nível de qualidade na produção, transporte e comercialização de frutas como uva, o mamão e a manga. No entanto, surgem no País pequenos focos que deixaram o extrativismo de lado e partiram para a profissionalização nos negócios. Uma situação que colocará em xeque o uso da expressão “Preço de banana”, em referência a produtos quase sem valor comercial. De início, basta se comprovar a injustiça cometida por tal provérbio.

O governo federal pretende que as exportações brasileiras atinjam pelo menos US$ 100 bilhões, em 2002. Desse total, 45%, o equivalente a US$ 45 bilhões, ficam sob responsabilidade da agricultura e pecuária. Para alcançar esta meta, o País precisará de um esforço para, no mínimo, duplicar as vendas externas que, em 98, fecharam um pouco acima de US$ 20 bilhões, conforme levantamento da Conab – Companhia Nacional de Abastecimento.

O leite numa “gelada”

Avalie este item
(0 votos)

Já faz algum tempo que os expositores de sorvetes dos supermercados vêm mostrando novas caras. São marcas, embalagens e sabores diferentes, que oferecem produtos novos e mais baratos. É a indústria de sorvetes trabalhando firme para conquistar mercado, dominado por duas grandes potências chamadas Kibom, fabricado pela Gessy Lever, e Yopa, produzida pela Nestlé. Juntos esses dois nomes detêm entre 80% e 84% de todo o setor. 

Até 1996, a Fazenda São Pedro (Itaquiraí, MS) convivia com um incômodo prejuízo anual cerca de 7% nos nascimentos por conta de abortos e natimortos. Estruturada para cria, recria e engorda, com 1.700 fêmeas nelore cruzados européias, a propriedade de Zelo de Brida precisava ser eficiente em cada atividade para fechar o balanço com resultado financeiro positivo. “Mas a perda de até 150 bezerros/ano por conta de problemas reprodutivos pressionava nossas contas”, revela Zelmo. 

O produtor rural necessita de conhecimentos que garantam não apenas a produção, mas especialmente a comercialização do que foi produzido na propriedade rural. Com o objetivo de integrar o tripé, composto pela atuação que antecede a produção, a produção propriamente dita e a comercialização, a Secretaria da Agricultura e abastecimento do Estado de São Paulo (SAA) e o Serviço de Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sebrae/SP), criaram, em março, o Sistema Agroindustrial Integrado (SAI). “A ênfase do projeto consiste em integrar o produtor ao agronegócios”, afirma Carmelo Grisi Júnior, da Coordenadoria de Assistência Integral (CATI), órgão da SAA responsável pela extensão rural no Estado e encarregado do projeto. 

Quando o gado vira um “sobrevivente”

Avalie este item
(0 votos)

Os setores envolvidos na cadeia produtiva da carne, que incluem criação, pesquisa e extensão, passando por consumo, mercado varejista, normas e regulamentação, e, terminando na exportação, enfrentam hoje o inverno, ou seja, o momento mais delicado do ano.