Revista 17 / Abril 1999

Revista 17 / Abril 1999

Entramos na era do "super grão"

Avalie este item
(0 votos)

Essa nova técnica viabiliza um novo nicho de mercado a ser ocupado por uma produção agrícola mais personalizada, de encomenda, que atende exigências específicas do consumidor. O produto resultante dessa nova tecnologia ter maior valor nutricional (qualitativo e quantitativo), pois é possível colocar um gene que ou elimina ou acrescenta propriedades permitindo a produção de um milho com maior teor de óleo ( " de alta energia"), ou de uma soja com menor teor de gordura saturada ("mais saudável").

Não é novidade que, há um bom tempo, a economia do País impôs uma realidade nada confortável ao mercado leiteiro. Junto ás melhorais do rebanho, os produtores também passaram a se preocupar com a própria sobrevivência na atividade, estreitando as relações entre custo é receita. É o caso do proprietário da Fazenda.

A criação da venda de carne bovina em cortes especiais exemplifica a situação. A longa trajetória do produto, desde as tradicionais encomendas em açougues para o churrasco de final de semana, a posterior criação de butiques de carne e, finalmente, as vendas de cortes especiais em supermercados, mostram novo mercado em ascensão.

No campo ou na cidade, a todo momento jipes e picapes não param de ser vistas. Pensados para transitar nesses dois universos, esse veículos uniram a sofisticação urbana com a rusticidade rural. Uma junção que vem agradando consumidores das mais diferentes tribos, aplicando o conceito das finalidades dos automóveis. Exemplo de tal categoria, o Pajero e a L200 colocam a mostra as vantagens de, literalmente, unir o útil ao agradável.

Introduzindo no Brasil há 45 anos, o Santa Gertrudis enfrenta um momento especial. Após um período de euforia, a raça está concentrada em criadores profissionais, que buscam lucro com a criação dos animais. Carson Geld, presidente da Associação dos Criadores de Santa Gertrudis e criador há 30 anos, explica que há cinco anos aumenta a demanda por animais. O período de modismo, preços artificiais e investidores que não pertenciam ao meio rural já superado.

Nelore - é a vez da fêmea precoce

Avalie este item
(0 votos)

Com uma espantosa evolução nos últimos anos, o Nelore reafirmou sua qualidade na pecuária nacional, provando que, quando o assunto é genética, basta um trabalho bem executado que a raça responde com excelentes resultados. Ameaçados com o desempenho das raças europeias que começaram a chegar ao País no início desta década, os selecionados de Nelore não tardaram a buscar melhores performances ao gado que detém quase 80% do rebanho de corte no País.

Eqünos - reprodução sob controle

Avalie este item
(0 votos)

Mais do que a competitividade do mercado, hoje a principal barreira a ser transposta pelo eqüinocultor é a busca de um ponto de equilíbrio no trabalho de criação, que permita ordenar custos da propriedade de forma a manter a atividade rentável.

Um trator testado e aprovado!

Avalie este item
(0 votos)

A maioria dos consumidores de automóveis sabe que os carros que estão nas lojas, passaram por uma série de testes dos mais variados tipos, a fim de verificar se o produto está nos níveis de qualidade exigidos pelo mercado. Nas máquinas agrícolas, apesar de não terem a mesma difusão que os automóveis, também são realizados testes semelhantes, que procuram verificar se elas estão em condições de serem colocadas no mercado.

A vista do lado de dentro da porteira

Avalie este item
(0 votos)

Os negócios da agricultura brasileira vão bem, obrigado! Em 1999, o País deve encerrar a safra com um recorde na produção de grãos e com melhoras nas divisas internacionais. No entanto, o produtor ainda encontra dificuldades para garantir a continuidade de seus plantios. O endividamento do campo é grande e impede a introdução de tecnologia nas lavouras. Uma situação preocupante que coloca em xeque um potencial produtivo do Brasil e deixa rastros negativos nas finanças de uma safra para outra.