Revista 43 / Julho 2001

Revista 43 / Julho 2001

O Ministério da Agricultura deu o passo inicial para abertura de discussões que irão estabelecer os critérios para o credenciamento de entidades que queiram ser certificadoras de produtos orgânicos, dentro do país. Na prática é o reconhecimento de que já existe a necessidade de formação de técnicos e agências que trabalhem na regulamentação de propriedades rurais que queiram transformar sua produção em orgânica.

Os mecanismos utilizados pelo governo para equacionar; sobretudo, a questão fundiária, parecem não estar surtindo efeitos desejados. Essa impressão é obtida, principalmente, junto a agricultores familiares, que reclamam e reivindicam uma política de crédito mais abrangente e um apoio mais eficiente para a comercialização da produção.

Mato Grosso prepara-se para mais uma safra de algodão. A estimativa é de que o Estado colha 483 mil toneladas do algodão em pluma, o que representa 58% da safra brasileira, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é mais animador e aponta 560 milhões de toneladas ou 61% da produção nacional.

A Associação Brasileira dos Criadores de Limousin lançou no dia 03 de julho, na Exposul, em Rondonópolis/MT, o programa F1 Limousin – um dos maiores projetos já desenvolvidos pela entidade e que tem como principal objetivo promover a utilização da raça no cruzamento industrial. 

A recente peça publicitária, veiculada pelo governo em várias emissoras de televisão, sobre os avanças alcançados com as medidas adotadas para a regularização da posse de terra no país, são acatadas com alguma reserva pelo expert em política sindical – setor rural, da CUT – Central Única dos Trabalhadores, José Reinaldo Prates sa Silva, que assessora a diretoria da Feraesp – Federação dos Empregados Rurais Assalariados no Estado de São Paulo, entidade criada em 1989, a partir de uma “quase cisão da Fetaesp”.

A meta do plano safra 2001/2002 de atingir 100 milhões de toneladas de grãos já foi alcançada, embora o governo “não saiba”. Esta afirmação é do diretor de consultoria da Agromercados Consultoria Agroeconômica, Carlos Cogo, que já atuou na área de avaliação de safras da Conab, e no IBGE – GCEA ( outro órgão que avalia oficialmente a safra brasileira).

Suinocultura - novo pólo em expansão

Avalie este item
(0 votos)

O Centro Oeste, grande produtor de grãos, revela-se a região preferida por novos e antigos produtores de suínos. 

Condições precárias do transporte no campo é uma das principais causas de acidentes graves na agricultura, geralmente com morte de trabalhadores. 

Características como a perseverança e o próprio gosto pela atividade nunca vão deixar de dar um grande esteio ao produtor de leite. Mas, hoje, assim como na maioria dos segmentos produtivos, a visão empresarial tornou-se imprescindível. E é o que podemos observar da empreitada de Eribelto Vanderlei Ciryllo Rangel, proprietário da Fazenda Serra Dourada, em Extrema/MG (Sul de Minas Gerais – 130 Km da capital paulista).