Revista 97 / Março 2006

Revista 97 / Março 2006

Aftosa - para dar a volta por cima

Avalie este item
(0 votos)

A vulnerabilidade do setor agropecuário aos desmandos da economia brasileira submeteram o coração do pecuarista brasileiro a um verdadeiro teste cardíaco. A crise que se abateu sobre o setor e que, a princípio, parecia irremediável, segundo os especialistas tem solução. O que precisa é um pouco mais de cautela e pulso firme para cuidar das questões que envolvem o negócio.

Amendoim - o desafio dos produtores

Avalie este item
(0 votos)

O amendoinzeiro (Arachis hipogea L.) é hoje uma das mais importantes oleaginosas, sendo a quarta mais produzida, perdendo apenas para a soja, o algodão e a canola. Participa com 10% da produção mundial de óleo comestível, com uma produção em torno de 23,5 milhões de toneladas/ ano, sendo os principais produtores a Índia, a China e os Estados Unidos. 

Durante muito tempo a apicultura comercial no Brasil se desenvolveu de forma migratória, época que os apicultores viajavam grandes distâncias atrás de floradas melhores. Esses deslocamentos causavam um enorme transtorno não só para os apicultores que ficavam na estrada por dias, mais também para as colméias que enfrentavam longas jornadas na carroceria dos caminhões em estradas muitas vezes cheias de buracos.

Pode se falar que tão importante como estimular, reestruturar e promover o desenvolvimento rural do distrito, o Programa Progredir também esta realizando milagres. Quando se iniciaram os trabalhos, um dos beneficiários do Programa também foi a única cooperativa de leite do distrito. Hoje, com 40 integrados, a Cooperativa Agropecuária dos Produtores de Leite de São Francisco Xavier, ganhou força e está sobrevivendo através do Programa.

E foi essa organização que impressionou o grupo de auditores da Eurepgap, da Alemanha, que visitaram o Brasil em dezembro de 2005 para uma pré-auditoria de certificação. Acompanhados dos técnicos do IGcert instituto Gênesis, de Londrina, PR, os inspetores Kertin Vhlig e Jenni Heise se surpreenderam com a infra-estrutura e com a qualificação dos trabalhadores.

A Mastite bovina continua sendo fator limitante da produção leiteira em muitas propriedades no Brasil, surgindo como o mais freqüente causador de prejuízos aos produtores de leite. A produção de leite no Brasil sofreu nos últimos anos uma verdadeira reviravolta. E isso não ocorreu por acaso. Com a chegada da Instrução Normativa 51, muitos produtores tiveram que se adequar às novas normas.

Desde que chegaram os primeiros animais à fazenda Pau D’Alho, que fica na cidade de Tietê, SP, no ano de 1965, que a raça Santa Gertrudes faz parte dos sonhos e aspirações do casal Carson e Ellen Geld. O antigo desejo de tocar o próprio projeto de criação pecuária, realizado assim que eles adquiriram a fazenda, encontrou, a princípio, muita dificuldade, pois, a propriedade pouco tinha a oferecer a não ser um solo degradado pela exploração no cultivo do café.

É o que está acontecendo com o produtor rural Carlos Abe, proprietário da fazenda Guirra, na região do Vale do Paraíba, em São Paulo. A propriedade, que foi adquirida pela família em 1974, trabalha no cultivo de cogumelos desde 92. A primeira espécie produzida foi o Shitake e, pouco depois, o Agaricus Blazei, conhecido popularmente como cogumelo do sol.

Na caprinocultura, atividade que se desenvolve em grande parte do país dentro de sistemas de semi-confinamento ou de confinamento total, a preocupação com o bem estar dos animais é constante. Se o controle não for feito de forma sistemática, a mortalidade pode ser alta ou afetar a produtividade durante vários dias.