Revista 167 / Janeiro 2012

Revista 167 / Janeiro 2012

Pelo relatório da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) a safra registrou mais quedas do que altas, em termos produtivos. A safra 2011/2012, no acumulado até 1º de janeiro de 2012, ficou em 492,2 milhões de toneladas, 11,62% a menos que a temporada anterior de 2010/2011. A baixa mais expressiva (-29,56%) foi em relação ao etanol hidratado, no

Durante uma reunião sobre o balanço do ano de 2011 e sobre as perspectivas para 2012, a Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) foi categórica ao afirmar que caso o Brasil passe por boas condições climáticas ao longo do novo ano, poderá colher a maior safra de sua história, sobretudo a de grãos, com crescimento de 5% na produção de soja e milho.

Dedo de Prosa

Avalie este item
(0 votos)

Um bate papo com Pedro Antonio Arraes Pereira da Embrapa

Credibilidade, segurança, confiabilidade e respeito - estes podem ser, em suma, as características de uma marca ou empresa que há tanto tempo é eleita a preferida em termos de opção de compra de um bem ou serviço. Este é, de fato, o objetivo da premiação Top List Rural - apresentar a público quais são os anseios por parte do produtor rural. Pela 11ª vez a

O comportamento de grande parte das commodities da agricultura, como soja, milho, algodão, café e trigo, ao longo de 2011, foi de crescimento moderado em relação às médias averiguadas em 2010. Com exceção, ao arroz, as demais registraram altas ao longo do ano, com destaque para o café arábica e o milho, com altas de 37,13% e 29,06%, respectivamente.

Ainda sem ter os dados consolidados de 2011, os principais setores de insumos como defensivos e fertilizantes avaliaram o ano passado com um período que deverá trazer saudades. Ambos os setores foram impulsionados pelos resultados de remuneração da lavoura brasileira, especialmente, as commodities de maior expressão no comércio externo.

Estimuladas pela alta das commodities, pelo avanço da produção agrícola e especialmente pela demanda chinesa pelo agronegócio brasileiro, as indústria de trator, máquinas e implementos agrícolas viveram anos áureos. Na última coletiva do ano com a imprensa, no dia 07 de dezembro, em São Paulo, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos

O ano que terminou foi atípico. O primeiro semestre teve preços elevados, sendo mantido o ritmo da entressafra do ano anterior. Entretanto, em meados de 2011, os efeitos da crise econômica externa e a desaceleração da economia brasileira começaram a pesar sobre os preços da pecuária, em grande parte do segundo semestre, foram menores que no primeiro.